Título: Extraordinário
Título Original: Wonder
Autora: R. J. Palacio
Nº de Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Nota: 5/5








Como falar sobre um livro extraordinário?

Auggie pensa ser um garoto comum. Por dentro. Pois ele sabe que por fora, sua aparência não é exatamente a mais comum do mundo. Nascido com uma síndrome rara derivada de um único gene responsável por distorcer totalmente a aparência de seu rosto, Auggie sempre foi vítima da crueldade humana.

A primeira informação que seu cérebro recebe ao conhecer uma pessoa nova, é aquilo que seus olhos veem: a aparência física. E as pessoas que olham para Auggie pela primeira vez, não gostam do que veem.

Todos nós julgamos pela aparência, não adianta negar. A diferença está na sua atitude após aquele primeiro momento. A diferença está no seu comportamento diante da possibilidade de permitir que uma pessoa, ainda que não seja agradável aos seus olhos, possa ser agradável ao seu coração.

Imagine ter que enfrentar grandes muros todos os dias da sua vida, às vezes várias vezes por dia. Alguns muros são áridos e antes mesmo que você possa tentar ultrapassá-los, eles machucam você; Outros são simplesmente intransponíveis.

Essa é a barreira da aparência física para Auggie. Muros chamados "Preconceito". E por mais que Auggie seja forte o suficiente para combatê-los, ele nem sempre terá a chance.

Com passagens engraçadas e também angustiantes, a história desperta diversas emoções no leitor. Eu me senti refém desse livro porque em alguns momentos as atitudes de alguns personagens eram tão cruéis que eu sentia vontade de largar o livro mas ao mesmo tempo, algo me impedia terminantemente de largá-lo.

E assim como em A Culpa é das Estrelas, mais uma vez eu me peguei prestando atenção em uma mãe cujo sofrimento é tão evidente que você sente vontade de abraçá-la. Uma mãe que, mesmo a contragosto, mesmo tendo vontade de protegê-lo do mundo, deixa o filho livre para vivenciar suas próprias experiências. Essa mãe deve ter recebido uma força extra divina na gravidez, porque ela sofre tanto quanto o filho com cada palavra cruel, cada risada maldosa, cada olhar de espanto. E mesmo assim, aparenta otimismo ao máximo. Quer dizer, uma mãe não pode simplesmente ensinar seu filho a mandar as pessoas irem pra merda quando caçoarem dele. Logo, como um exemplo a ser seguido, ela também não pode fazer isso, apesar da vontade. Deve ser aí que a força extra divina entra em ação.

Os personagens secundários dessa história não estão ali pra fazer figuração. Cada um deles é importante, tanto que muitos deles tiveram um capítulo inteiro reservado para dar seu ponto de vista relacionado à convivência com Auggie.

No fim, não é uma história sobre os problemas do Auggie mas sim sobre o Auggie superando seus problemas. E isso é maravilhoso mas mesmo assim não foi suficiente para tirar de mim o sentimento de que, por mais que ele vença uma barreira hoje, muitas outras surgirão amanhã. E tudo bem que a vida de todo mundo é assim, mas nem todas as pessoas têm o preconceito como seu pior inimigo todos os dias.

Um dos livros mais emocionantes que eu já li. Transborda lições de vida.
Fiquei impressionada ao perceber o quanto esse cara chamado August Pullman, com tão pouca idade (10 anos), é melhor que tantas pessoas em tantos sentidos, independente de qualquer deformação.

Auggie diz que todas as pessoas deveriam ser aplaudidas de pé, pelo menos uma vez na vida.
Eu digo que todas as pessoas deveriam ler esse livro, pelo menos uma vez na vida.



Artigos relacionados:




Quote da Semana

"Somos todos estranhos de um jeito diferente, e isso é normal. E mesmo que exista muita coisa que eu não possa dizer para eles, é bom me sentir parte de um grupo." (Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira)

3 comentários:

  1. Estou curiosa com esse livro há um bom tempo e a vontade de lê-lo só aumentou com sua resenha. Adoro livros que adicionam algum conteúdo humano e com certeza esse tem de sobra!
    Beijos :)
    http://prateleiraderascunhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Amei ler esse livro Luciana! Com certeza um dos melhores do ano!
    August conquista a todos com sua gentileza <3
    http://aposasreticencias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Amoo esse livro. Me emocionei tanto com a leitura, e pude me colocar no lugar de tantos personagens... É perfeito, e uma lição de vida.
    Beijos
    aculpaedosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Não deixe de comentar...

Topo