Em minhas andanças pela internet em busca de autores que tivessem interesse em participar da postagem sobre autores e seus animais de estimação, conheci o trabalho do Alessandro Dogman, que teve seu livro (abaixo) publicado em abril.

O autor informou não ter animais de estimação desde que sua gata, Muriel, falecera em 2006, após doze anos de vida.

Alessandro publicou em seu livro, uma crônica onde a Muriel é personagem e cedeu o texto para que eu publicasse aqui no blog.

Então, é com prazer que publico "Coração Disléxico", com exclusividade aqui no Sem Spoiler. Não deixem de conhecer o trabalho do autor.

Título: Das coisas simples da vida - E outras crônicas
Autor: Alessandro Dogman
Nº de Páginas: 132
Editora: Giostri
Ano: 2014
Compare preços









CORAÇÃO DISLÉXICO

Na sala de jantar, preencho uns postais e tomo um chá enquanto espero pelo jantar. Minha gata, a Muriel, tenta comer o cadarço do meu All Star por debaixo da mesa. Nem parece que há duas semanas ela retirara mais um tumor das tetinhas e, ainda agora, tem um mapa rodoviário desenhado na barriga, costurado com vinte e três pontos de linha preta.
Tudo bem que uma gata de doze anos passe por problemas de saúde, mas é incrível como a vida da gente (e dos gatos) num momento parece que está nos eixos e, no minuto seguinte, já está degringolando.
E se fosse tarde demais?
E se não desse para operar?
Aí eu viveria o resto dos meus dias com aquela sensação de ter uma bala Soft atravessada na garganta, porque a falta de perspectiva no presente tende, de forma irreversível, a condenar o futuro. E a desesperança, independentemente dos avanços da ciência, tende a se espalhar rapidamente, como um câncer nas tetinhas de um felino.
Olhando para a Muriel, lembrei de uns colegas de escola que “eram legais e, além do mais, não queriam nem saber”. Caras que faziam poesia, tocavam guitarra, baixo e bateria, desenhavam, escreviam manifestos, amavam platonicamente, pichavam muros com palavras de ordem, dirigiam sem carteira, amanheciam jogando conversa fora em dia de prova, sonhavam em conhecer Porto Alegre e Londres.
Já faz um tempo que não sei como eles estão, só ouvi dizer que alguns apenas sobrevivem e outros se foram. Quem continua por aqui não é nem sombra do que imaginou ser um dia. E quem partiu não deixou sequer lembranças do talento que transbordara durante toda a adolescência.
Como na vida da gente (e na dos gatos), a coisa parece estar nos eixos agora, mas, fatalmente, vai degringolar no próximo minuto, na próxima semana, no próximo mês, no próximo ano. Em algum momento, cedo ou tarde, tanto eu quanto você, vamos pensar uma coisa e fazer outra, amar uma pessoa e nos entregar a outra, ser lembrados num dia e esquecidos no outro. Vivos e mortos, quase ao mesmo tempo.
Inocentemente, a Muriel adormece sobre os meus pés. Não interessa a ela se o mundo saiu do prumo ou se foi apenas seu dono a perder o rumo. Nem a enorme cicatriz em sua barriga é capaz de atrapalhar um cochilo tão humano. Eu é que acabo de reparar que o chá esfriou, que os postais ainda estão vazios e que a noite chegou, escura como nunca.
ALESSANDRO DOGMAN



"As fotos são da Muriel no penúltimo ano de vida, em 2005...
De 2006 pra cá, nunca mais cogitei ter nada que respire na minha casa, nem plantas." (palavras do autor)



Sinceramente, fiquei emocionada com a crônica, que descreve o quanto a vida é frágil. Além do que, para mim que amo gatos, foi impossível não me sensibilizar com o sofrimento pelo qual a Muriel teve de passar. Só quem já perdeu um bichinho de estimação sabe o quanto é triste.

Agradeço ao autor, que me enviou e permitiu a publicação da crônica.


Desafio cumprido! As postagens que compuseram o segundo desafio Duelo de Titãs foram:

[Tag] Animais Literários
[Resenha] A Maldição do Tigre - Colleen Houck
Autores e seus animais de estimação #01
Autores e seus animais de estimação #02
Bônus: Alessandro Dogman - Coração Disléxico

Espero que vocês tenham gostado de cada uma das publicações, porque eu adorei!

Beijos
Lu



Artigos relacionados:




Quote da Semana

"Somos todos estranhos de um jeito diferente, e isso é normal. E mesmo que exista muita coisa que eu não possa dizer para eles, é bom me sentir parte de um grupo." (Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira)

18 comentários:

  1. Oi, Lu!
    Que texto formidável! A linha tênue da vida é algo complicado mesmo.
    Eu tive dois cães: Uma cadelinha Dachshund chamada Thiffany (não fui que batizei) e um Rottweiler chamado Fester (nome original do Tio Chico, da família Addams - Esse foi eu que batizei!). Ganhei os dois no mesmo ano, qdo criança e cresceram juntos comigo. A cadelinha morreu com 13 anos, já muito velinha e o Fester, grande e forte, teve insuficiência renal aos 9.
    Dese então nunca mais tive nada vivo também. Acaba sendo um impacto muito grande mesmo.
    http://osdragoesdefogo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Kaio, é um impacto enorme. Eu já perdi 2 cachorros e 2 gatos... muito triste. :/

      Excluir
  2. Oi Lu!! Que texto incrível. Lindo e triste. Deveria ser contra as regras um animal de estimação morrer, nem gosto de imaginar meu mundo sem minhas pequenas.
    Ficou perfeito *-*
    beijos
    aculpaedosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não sei o que vai ser de mim se a Abigail morrer. Não gosto nem de pensar nessas coisas. :(

      Excluir
  3. Alessandro Dogman7 de julho de 2014 20:13

    Muito feliz de ver um textinho meu por aqui, Lu, ainda mais sabendo da audiência qualificada do teu blog. Obrigado pela força e parabéns pelo trabalho! A Muriel também teria aprovado, posso garantir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que te parabenizo pelo trabalho, Alessandro. O texto é perfeito e, como você pode ver, todos adoraram.
      Estou muito feliz por saber que a Muriel teria aprovado meu blog. hihi :DD

      Excluir
  4. Ola Lu amei o texto e amei conhecer mais obre o autor e sua criação.
    Fiquei emocionada e curiosa para conhecer mais sobre Muriel e sua passagem!

    Amei Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse texto também me deixou emocionada, Joi. É tão lindo. ♥

      Excluir
  5. Oie,
    nossa que texto lindo!!
    Bem original!!
    Adorei

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa
      Que bom que você gostou. Eu também adorei. :))
      Bjs

      Excluir
  6. Bem legal conhecer o livro!
    Gostei do blog, seguindo aqui!
    Bjs, Lu - http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lu, tudo bem?

    Acho lindo quando leio um livro que fala dessa relação de carinho entre o animal e o seu dono, Eles são seres tão puros, tão leais. Fiquei super tocada com esse conto sobre a Muriel. Ela era uma gatinha linda

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei a Muriel muito linda, Kel.
      Fico feliz que você tenha gostado.
      Beijoo

      Excluir
  8. Oi Lu. Diva do Fogo kkk. Que texto incrível e ainda a Muriel se parece tanto com o meu gato que...
    Enfim, parabéns e rumo a vitória.
    Beijos

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só a Bia mesmo com esse negócio de Diva do Fogo, né? kkkkkkk
      Rumo à vitória, Paulo.
      Beijoo

      Excluir
  9. Oi, Lu!
    As crônicas do Alessandro são muito boas, já li o livro dele e vale a pena mesmo!

    Bjbj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é uma sortuda de ter lido o livro dele, Hellen.
      Me empresta? hauahuahauha
      Beijoo

      Excluir

Obrigada pela visita! Não deixe de comentar...

Topo